PREVENÇÃO DO CÂNCER DO COLO DO ÚTERO

 
Estima-se que no Brasil, o câncer de colo do útero seja a terceira neoplasia maligna mais comum e a quarta causa de morte por câncer entre as mulheres. Ele ocorre com mais freqüência em mulheres entre 30 e 45 anos de idade, porém pode ocorrer mais precocemente.
A causa mais comum do câncer de colo de útero é uma infecção prolongada pelo vírus papiloma humano (HPV), transmitido por contato direto com a pele, geralmente durante a relação sexual. A transmissão também pode ocorrer por meio do contato com objetos ou roupas contaminadas.
Outros fatores que contribuem para a causa desse tumor são:
- tabagismo;
- consumo excessivo de álcool;
- diversos parceiros sexuais;
- uso de contraceptivos orais;
- múltiplos partos;
- baixa ingestão de vitaminas A e D;
- início precoce da atividade sexual;
- infecção conjunta por agentes infecciosos como HIV e Clamydia trachomatis.
 
Sintomas
 
            Em seu estágio inicial não provoca sintomas, razão pela qual os exames regulares são tão importantes.
            As mulheres que desenvolvem câncer do colo do útero apresentam frequentemente um ou mais dos seguintes sintomas:
- sangramento entre os ciclos menstruais e deois das relações sexuais;
- fluxos menstruais mais intensos;
- corrimento com odor fétido;
- aumento da frequência urinária;
- dor nas costas;
- dor abdominal.
 
Diagnóstico
           
            O diagnóstico é feito por meio do Papanicolau, exame preventivo do colo do útero que tem como objetivo detectar lesões precursoras desse câncer.
            O exame consiste em coleta de células do útero, sendo um método indolor, simples e rápido e deve ser feito anualmente. Após dois exames seguidos, com intervalo de uma no, apresentando resultado normal, o preventivo pode passar a ser feito a cada três anos.
            Mulheres grávidas também podem se submeter ao exame, sem prejuízo para sua saúde ou a do bebê.
            Quando o resultado do Papanicolau tiver resultado alterado pode-se pedir exames que permitem identificar com precisão o local e a extensão da doença, como a colposcopia.
           
Prevenção:
            O câncer de colo do útero pode ser evitado com a prevenção da infecção pelo HPV através da vacinação, através do rastreamento de lesões pré-cancerosas e tratamento precoce para evitar a progressão para o câncer.
            O uso de preservativo pode não proteger adequadamente os indivíduos da exposição ao HPV, já que o vírus pode ser transmitido pelo contato com tecidos genitais externos ou anal que estejam infectados, já que os mesmos não são protegidos por um preservativo.
 
Referências
 
INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER. Estimativa 2010: incidência do câncer no Barsil. 2009. Disponível em: HTTP//www.inca.gov.br/estimativa/2010/estimativa20091201.pdf.
 
INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER. COLO DO ÚTERO. Colo do útero: detecção precoce. Disponívelem: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connct/tiposdecancer/site/homecolo_uetro/
detecção_precoce.
 
           
           

Comentários

Postagens mais visitadas