DECIFRE A TABELA NUTRICIONAL




Quem lê os rótulos dos alimentos tem menos riscos de se tornar obeso. Mais do que ajudar a manter a forma, observar as tabelas nutricionais traz muitos outros benefícios.
 O rótulo de um produto é a sua carteira de identidade. É ali que você encontra os macronutrientes (proteínas, gorduras e carboidratos) e os micronutrientes (vitaminas e minerais), e a proporção em que eles devem ser ingeridos ao longo do dia
Quem olha apenas a quantidade total de calorias nas embalagens, está perdendo uma oportunidade de contribuir para o melhor funcionamento do corpo.
— Todo alimento tem calorias. Mas algumas são vazias, ou seja, sem valor nutricional. Se dois itens têm a mesma quantidade calórica, prefira os pobres em gordura saturada e ricos em vitaminas.

Na proporção correta

Não basta saber interpretar as informações da embalagem, é preciso ter bom senso na hora de montar o cardápio como um todo.
— O cardápio ideal para um adulto saudável deve ter no máximo:

 20% de proteínas,
50% de carboidratos e
30% de gorduras, sendo que apenas 10% podem ser saturadas, ou seja, de origem animal.

·          Idosos e crianças têm uma pirâmide alimentar um pouco diferente.
·          Pessoas com doenças crônicas, como o diabetes e a hipertensão, também têm necessidades alimentares diferentes.
·          As meninas têm um estirão mais cedo, antes dos 12 anos. Nesse momento é importante aumentar as proteínas, para garantir o crescimento adequado.
·           Nos meninos, esse momento acontece um pouco mais tarde, por volta dos 14 anos.

No quadro abaixo você vê alguns dos itens das tabelas nutricionais mais importantes para cada momento da vida, não esquecendo de incluir sempre na dieta: frutas, legumes e verduras cruas.


Fonte: O Globo



Comentários

Postagens mais visitadas