Sua cabeça é de gordo ou de magro?

Por Carolina Ferriolli ( www.pensefit.com.br) e Bem Estar - Globo




Ontem no programa Bem Estar da Globo o assunto foi como nosso cérebro influencia em nossa alimentação, tema super a ver com o blog, não é?

O tempo que nosso cérebro leva para decidir se queremos ou não comer algo depende de cada um e depende também se essa cabeça tem pensamento gordo ou magro. Muitas vezes essa decisão é inconsciente e é uma briga entre nossos impulsos por prazer e nosso autocontrole.

Tal decisão tem relação com a química cerebral, história da pessoa, experiências e ambiente em que é exposto. Vale ressaltar aqui o risco que é quando os pais deixam acessível demais alimentos não saudáveis aos filhos. O tempo que a pessoa leva para comer também influencia na resposta de saciedade do cérebro, ou seja, é preciso dar tempo para que ele perceba que está satisfeito.

Essa resposta por comer também é influenciada pelo tempo da última refeição da pessoa, ou seja, como sempre falo, não fique mais de três horas sem comer. A grande questão é:Como você se comporta perante a comida? Com cabeça de gordo ou de magro? E aqui não importa o peso corporal, porque uma pessoa magra pode ter cabeça gorda e vice versa. 
 
  • Pensamento gordo é imediatista e a comida é a prioridade! "Só hoje", "Eu mereço", "Amanhã eu começo a dieta ou vou para a academia", "Eu preciso".
  • No pensamento magro o prazer é mais a longo prazo: "Hoje não", "Eu mereço ter saúde e um corpo que me sinto satisfeito", "Eu já comi um pouco mais do prato principal, por isso hoje não comerei sobremesa", "Eu não preciso".
A reeducação alimentar muda o comportamento e a mente das pessoas, por isso ela é mais eficiente que regimes da moda. Você pode estar se perguntando, se tenho pensamento de gordo posso vir a ter pensamento de magro? Claro, é uma questão de mudança e transformação. Você deve controlar o alimento e não ele te controlar, então, vamos lá?

Comentários

Postagens mais visitadas